quarta-feira, 10 de junho de 2015

Será que o médico pensou que os condutores dos velocípedes tinham menos direito à via pública por estarem a fazer desporto e não a trabalhar?

Esta notícia sobre a condenação de um condutor de automóvel a 5 anos de prisão (nos EUA) por ter tido uma condução perigosa e ter deliberadamente "ensinado uma lição" a duas pessoas que se deslocavam de bicicleta travando bruscamente à frente destes (algo que lhes causou, a um, dentes da frente e nariz partidos e cortes na cara e, a outro, um ombro deslocado) é interessante.

_S1G1212

(imagem publicada no Los Angeles Times, neste link)

Há, contudo, no texto da notícia, uma mensagem quase subliminar de que ciclistas e automobilistas devem resolver os seus problemas de forma pacífica. Esta é, de resto, uma postura que eu tenho visto muito também no Reino Unido.

Eu acho que a questão está mal colocada.

Eu vejo condutores de veículos diferentes (automóvel e velocípede) e há um idiota que por ter o veículo maior / mais rápido quer impor a sua vontade ou descarregar a sua frustração a outros dois condutores que, na sua opinião não têm o mesmo direito a utilizar a estrada.

Parece que toda a lógica está errada!

É evidente que a via pública tem regras de trânsito (descansem que eu não me vou pôr aqui a debitar artigos do Código da Estrada) que se aplicam a todos os veículos e outras que se aplicam apenas a alguns tipos de veículos.

Aquilo que eu não consigo perceber é a origem da atitude agressiva e violenta que este condutor (médico, por sinal, e portanto uma pessoa pelo menos letrada - mas não civilizada) tem, como tantos outros com que nos cruzamos na estrada, para com quem se desloca de bicicleta.

Não me parece ser a velocidade da deslocação, pois há veículos que são mais lentos do que as bicicletas e perante esses a generalidade dos condutores de automóveis não reage da mesma forma: as carroças puxadas por animais e alguns tractores, por exemplo.

Interrogo-me se é por haver o estereótipo de que apenas se utiliza a bicicleta para desporto e que, portanto, não se deveria estar a "importunar" (atrasando) quem quer ir à sua vida, à sua velocidade?!

É que, caso não seja, então eu só vejo uma outra explicação: PURA ESTUPIDEZ!

Espero que a pena (a ser verdadeira a notícia) lhe sirva de correcção e que sirva de exemplo para tantos outros que diariamente hostilizam os utilizadores da via pública mais vulneráveis (ciclistas, peões, motociclistas de ciclomotores, etc.)!

2 comentários:

  1. O problema é que quem anda de bicicleta está a tirar trabalho aos médicos. Ele andava a tentar mandar alguns para o hospital para não perder o emprego.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :D
      Muito bom! Não me tinha ocorrido essa! :)
      Abraço

      Eliminar